Mas os olhos são cegos. É preciso buscar com o coração.
O Pequeno Príncipe.    
Não consigo mais aceitar relações pela metade. Em outras palavras, raspas e restos não me interessam.
Caio Fernando Abreu. 
o peso incomoda
mas a leveza do vazio
é angustiante,
qualquer ventinho
te leva pro nada.
nevou.  
Eu só quero isso. Alguém que chegue, me faça rir, permaneça. Que dispute comigo no final do dia, quem ama mais. Eu só quero isso, um pouquinho de amor, de carinho. Quero alguém que fique, por mais difícil que esteja. Um sol, pra me fazer de Terra, e girar em torno. Para me iluminar, por mais que a escuridão aparente não ir embora. Alguém, para rir das piadas mais estúpidas do mundo. Quero alguém, que exista apenas em mim, quero existir em alguém. Ser o mundo de alguém. Quero alguém que, no final de um diálogo, diga tchau, pelo menos umas 5 vezes, e depois de tudo, apenas, esqueça de ir embora.
Fernando Moura.  
Ultimamente ando cheio de excessos, excesso de pensamentos, excesso de lembranças, excesso de saudades, excesso de você.
Convívios. 
Que porcaria de vida. Tudo começou como uma brincadeira juvenil idiota, e eu preferiria que continuasse assim. Quantos livros você precisa ler até aprender a escolher o que vai sentir quando encontrar alguém? Até a parte do tesão já estava legal. Eu disse que era encrenca, não disse? Acontece que eu nunca acredito em mim.
Gabito Nunes. 
Sou assim: eu me afasto das pessoas. Me afasto, me perco, me encontro, me reaproximo, fico calada, dou poucas palavras, volto, brinco, xingo, me afasto novamente, fico tensa, me isolo, sumo, volto e não volto, fico aqui e ali, lá e cá. Sou assim, as vezes ressuscito na vida de alguém, ou outras vezes morro definitivamente. Depende da importância que possuo na vida das pessoas, e quer saber? A importância de tão minúscula que é poderia ser abaixo de zero.
A Escritora de Bar.